Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

O nosso blog abre um canal onde o internauta poderá participar sugerindo publicação. Enviando fotos

Traduza para seu idioma

Visitas internacionais

Free counters!

Seguidores

Marcas e cicatrizes do Cangaço

À ferro e fogo

Marcas e cicatrizes do Cangaço

O fenômeno do cangaço vivenciado por Lampião e seus grupos de cangaceiros, deixou marcas profundas, em todos os recantos nordestinos percorridos, bem como, o sertanejo, vítima de crimes bárbaros. Some-se a isso, também as violências praticadas por alguns policiais das forças volantes.

Foi frequente, o saque de casas comerciais, fazendas incendiadas, corte de orelhas, sequestro, extorsão, castração, violação de mulheres, surra á palmatória e chicote, mulheres ferradas como animais, no púbis, nas coxas, nos rostos, além de corpos "pipinados" a punhal etc.

Algumas destas vítimas de ambos os lados da história se deixaram fotografar pela imprensa, testemunhas oculares e pesquisadores anos depois do fato.

Pedro José dos Santos (Pedro Batatinha) - vítima de castração pelo grupo de Lampião, 
em 17/10/1930,  no município de Nossa Senhora das Dores-SE.

Em 06 de janeiro de 1932, Lampião e seu grupo invadiram Canindé do São Francisco/SE. De imediato, o Rei do cangaço mandou pegar algumas mulheres ( Maria Marques, irmã do soldado Vicente Marques; Izaura, casada com o soldado Bilrinho; Anizia, conhecida por Zininha, além de outras ).

O cangaceiro Zé Baiano ( o qual havia sido traído pela bela Lídia ), esquentou seu "ferro" o qual tinha as iniciais "JB", deixando-o em brasa, e ato continuo, seguindo ordem do chefe, ferrou, em pleno rosto, a Sra. Maria Marques, além de outras (Vide foto abaixo).
 Maria Marques, ferrada com as iniciais "JB" - 
em 06/01/1932

Outra vítima de Lampião e Zé Baiano

 José Custódio de Oliveira ( Zé do Papel ), 
teve a "orelha" mutilada, por cangaceiros em Aquidabã/SE .


Abaixo, foto da Cangaceira "Dadá" - Companheira de "Corisco", a qual foi metralhada pela volante do Cel. Zé Rufino, no dia em 25/maio/1940, na Faz. Pulgas/BA, tendo, posteriormente, sido amputada a perna direita da mesma, na altura da coxa. Ela, ainda, sofreu cinco cirurgias na aludida perna. .


Abaixo, foto do ex cangaceiro " Candeeiro " - o qual, no combate de "Angicos"/SE (28.07.1938), foi baleado no braço direito, ficando com uma grande sequela . Nesse combate, morreram Lampião e mais 10 companheiros.
Obs: Candeeiro ainda é vivo, e mora na cidade de Buíque/PE.

Cabo Antonio Isidoro", da volante do Cel. Zé Rufino, que em combate com Lampião, recebeu um balaço na mão, ficando a mesma inutilizada.

Ferimentos sofridos por Lampião

1921 - Ferimento à bala no ombro e na virilha, no município de Conceição do Piancó-PB.
1922 - Ferimento na cabeça. “Só por um milagre escapei”, disse Lampião em entrevista ao Dr. Otacílio Macedo.
1924 - Ferimento à bala no dorso do pé direito, em Serra do Catolé, distrito de Belmonte-PE.
1926 - Ferimento leve à bala, na omoplata, em Itacuruba, distrito de Floresta-PE.
1930 - Ferimento leve à bala, no quadril, no município de Pinhão-SE



precisa de dinheiro fale com Erick

Troque seu limite no cartãoo de crédito por dinheiro e parcele em até 24x
sem consulta ao SPC OU SERASA contato Eric 81.9908 7358 81.8649 5338


Precisando de dinheiro ?

Contos O cometa de Halley do meu pai"

                       Um monte de números e O cometa de Halley do meu pai

Escrever é também lidar com números. Por isso tento me fazer entender nessa introdução cheia de datas. Seguinte: quando nasci, em 1952, meu pai Severino era um coroa de 50 anos. Ao escrever meu livro História sem Nome, entrevistei o avô do amigo Silas Paes Barbosa Júnior, dr. Orestes Rocha e, no meio da conversa, descobri que ele e meu pai haviam nascido no mesmo ano: 1903.

Gostei da “coincidência” e comecei a perguntar sobre coisas que meu velho pai contava e, uma delas, era sobre o Cometa de Halley, que assombrou o mundo em 1910, quando ele e dr. Orestes eram meninos de 7 anos de idade. Meu pai morava em Vitória de Santo Antão, no Pernambuco e dr. Orestes, no Triângulo Mineiro. Meu pai contava que o povo começou a reparar que uma estrela crescia a cada noite e ia ficando cada vez maior, até parecer outra lua. Esse fenômeno real desnorteou a vida do lugar.
As mulheres se juntavam para rezar, os homens confabulavam, as crianças se divertiam e os animais ficavam perdidos sem saber o que fazer. Meu pai contava que os galos não sabiam mais a hora de cantar e que a estrela deixava um rastro luminoso no céu... Só podia ser o fim do mundo.
A notícia se espalhou e as rezas se intensificaram. Dr. Orestes contava que na madrugada o brilho ficava ainda mais bonito. Ele e seus irmãos eram despertados pela negra alta, de canela fina, que trabalhava em sua casa e os levava ao quintal para apreciar o fenômeno.
Assim como foi chegando e brilhou, depois de um tempo, o cometa foi se distanciando para prosseguir em sua rota. O mundo não se acabou e o povo da cidade de meu pai só foi levar outro susto quando entrou pelas ruelas do lugar um carro andando sozinho, sem cavalos. Foi um espanto! O Cometa de Halley, que passa pela Terra a cada 76 anos, deveria voltar em 1986.
O sonho do meu pai era alcançá-lo novamente mas, em 1981 ele partiu desse plano. Agora era a minha vez de ver esse grande fenômeno e eu contava os dias para a volta do cometa. Dr. Orestes e eu alcançamos a data, mas nos frustramos porque não vimos nada, "só notícia de jornal e televisão", como dizia ele.
O cometa passou longe, mas deve voltar em 2061. Dr. Orestes se foi e, é bem capaz que eu não alcance o retorno do Halley. Nesse ano, meu filho mais velho terá 83 anos e o filho dele, 46. Se o cometa passar pertinho, eles terão uma boa história para contar.
*Lenilde Ramos é sanfoneira e craque em contar histórias sobre a vida e Mato Grosso do Sul, autora do livro "História sem Nome".link

Quadrilha desbaratada no bairro do maués + duas pistolas, sendo uma "380 Milímetros" e a outra "45", de uso restrito das forças armadas.

Na tarde deste domingo(14) policiais do 21°.BPM, detiveram no bairro do maués, uma mulher e apreenderam um menor de 16 anos de idade. De acordo com o comandante do batalhão monte das tabocas Renato Aragão, na residência da Renata Targino de Barros de 24 anos, os policiais apreenderam duas pistolas, sendo uma "380 Milímetros" e a outra "45", de uso restrito das forças armadas. Além de doze munições intactas, "calibre 45", e outras sete de "380". O major relatou para nossa reportagem que o menor infrator ja teve passagem pela prática de tráfico de drogas, e que na 

madrugada do sábado para o domingo teria abrido fogo contra um veículo gol que era ocupado por 5 pessoas, entre elas duas mulheres. O carro foi alvejado com doze disparos, e por sorte ninguém foi alvejado pelos disparos.Renato Aragão ainda informou que o companheiro da Renata estava no imóvel e reagiu a abordagem policial, e trocou tiros com o efetivo policial. O homem tinha duas identidades, uma delas era falsa, e o nome era de outra pessoa identificada por Rodrigo Gomes da Silva, mas a foto era a sua . O verdadeiro nome do suspeito foi identificado por Thiago Gomes Medeiros de 25 anos,que está foragido. Segundo o Major, tanto o menor quanto o Thiago haviam recebido R$: 6.000,00 de um comerciante da cidade para assassinar duas pessoas que estavam no interior do veículo. As armas e os dois envolvidos foram encaminhados para central de plantões onde os procedimentos de praxe foram realizados pela autoridade policial.

A motocicleta que os envolvidos iriam usar na fuga após o suposto homicídio foi apreendida pelos policiais uma honda CB-300cc de placa PES-1214

Ex-vereador Geraldo Enfermeiro é baleado na zona rural de Vitória

Foto: Pedro Silva/A Voz da Vitória

Foto: Pedro Silva/A Voz da Vitória


Um ex-vereador de Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata do Estado, foi baleado durante uma tentativa de assalto na tarde desta sexta-feira (12), no Sítio Mocotó, na zona rural do município.  José Geraldo Gomes de Araújo, conhecido como Geraldo Enfermeiro, de 56 anos, estava no veículo com sua companheira quando recebeu os disparos. O ex-parlamentar, que já presidiu o legislativo local, levou três tiros, segundo o Hospital João Murilo de Oliveira.  As balas o atingiram de raspão na barriga e no nariz. Após o atendimento na unidade hospitalar, ele foi liberado para prestar depoimento.

Karla Guimarães Santos, de 27 anos, era quem conduzia o carro. Ela foi atingida por três tiros. Ainda segundo o hospital, os disparos atingiram as duas pernas. Karla, após o atendimento, foi encaminhada ao Hospital da Restauração, no Recife. Seu estado de saúde é estável.  A investida criminosa ocorreu quando o casal chegava na casa do sogro do ex-vereador. Os homens já estavam no local praticando um assalto, e dispararam ao ver a chegada do veículo. Segundo Geraldo, "foram quatro homens, que quando viram o carro já vieram atirando. Só deu tempo de ela [a companheira] acelerar e sair de lá", disse ele ao Portal A Voz da Vitória.

Com informações do A Voz da Vitória  link

Homem é preso no bairro do Iraque

Homem é preso no bairro do Iraque por posse ilegal de arma fogo e tráfico de drogas


Na manhã desta segunda-feira (08) policiais civis da delegacia municipal da cidade de vitória de santo antão, comandados pelo delegado Edmilson Batista,prenderam no bairro do Iraque na área urbana da cidade um homem identificado por João Batista Simplício de 24 anos, suspeito de tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo.  Na residência do suspeito os policiais apreenderam um revolver calibre "38", com oito munições intactas, além de dez pedras de crack. 
O delegado informou que "Gu" como é conhecido já teve passagem pelo sistema prisional de pernambuco por porte ilegal de arma de fogo. 

Depois de ouvido o homem foi indiciado por porte ilegal de arma de fogo, e tráfico de entorpecente, em seguida foi encaminhado para o mini presídio da cidade, onde ficará a disposição da justiça.



Da redação com informações de Eliel Magno link aqui

Vitória perde ilustre filha: Morre Diva Holanda

                                         diva holanda

Odontóloga, Escritora, Poetisa, Professora – Diva Andrade de Holanda Bastos morreu por volta das 07h. da manhã deste domingo (17/05), após ter sofrido uma parada cárdio-respiratória em sua residência situada no Bairro da Matriz, em Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata. Ela chegou a ser socorrida até a emergência do Hospital João Murilo de Oliveira, porém não resistiu ao infarto fulminante.
Filha do ex-prefeito de Vitória Manoel de Holanda (1951 a 1955) e mãe do ex vereador Mano Holanda, Dra. Diva, como era bastante conhecida na cidade, nasceu no dia 07 de março de 1944, formou-se em Odontologia na ASCES – Caruaru e escrevia poesias, crônicas para os jornais locais, exercendo por longas décadas importantes funções tanto no Instituto Histórico quanto na Academia Vitoriense de Letras, Artes e Ciências. Ela ajudou a escrever o livro “História da Vitória de Santo Antão de 1983 a 2010″, ao lado de João Álvares, Pedro Ferrer e Lucivânio Jatobá.
Dra. Diva pertencia a uma família intrinsecamente ligada à história política, social e cultural da Vitória de Santo Antão. Sua história familiar detém importantes personalidades do mundo poético, a exemplo de Martha de Hollanda Teixeira de Albuquerque, nascida em Vitória em 1903, foi casada com o poeta e historiador José Teixeira de Albuquerque, sendo Martha a única mulher a cursar o normal médio naquela época e também a primeira eleitora a votar em Pernambuco. Registra-se ainda Manoel de Hollanda Cavalcanti, que foi o prefeito a abaixar o próprio salário e dos vereadores, fato que causou grande discussão na década de 50. Outro, Nestor de Hollanda Cavalcanti Neto, nasceu em 1921, e aos 17 anos fez parte de um grupo de jovens que iniciavam na imprensa e nas letras. Nestor publicou o livro de poemas “Fontes Luminosas”, escreveu também a comédia “Sossego, Rua da Revelação”.
O corpo da Dra. Diva Holanda está sendo velado na Capela do Colégio N. Sa. da Graça (Damas), no bairro da Matriz, em Vitória. Seu sepultamento está marcado para acontecer às 09h. da manhã desta segunda-feira (18), no Cemitério Municipal São Sebastião.
A Academia Vitoriense de Letras (AVLAC) publicou a seguinte nota: “Uma grande mulher, mãe, amiga, profissional dedicada, avô carinhosa, Diva Holanda, nossos sentimentos a toda família, que Deus na sua grande misericórdia, conforte seus entes queridos”.
CASARÃO
Uma das últimas batalhas da Dra. Diva Hollanda foi zelar pelo antigo casarão de sua família que foi construído em 1817 e tombado em 2010 pelo Governo do Estado, através do Conselho Estadual de Cultura, que declarou o mesmo como Patrimônio Histórico o monumento vitoriense. Disputas políticas pelo imóvel arriscavam a desapropriação do Casarão situado próximo a Praça Duque de Caxias, Centro de Vitória.

Celpe é autorizada a aumentar tarifa de energia elétrica em Pernambuco

lâmpada

A Diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica A conta de luz vai ficar mais cara em Pernambuco a partir da próxima quarta-feira (29). O reajuste médio de 11,25% foi autorizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) na manhã desta quarta (22), mas as novas tarifas serão sentidas pelos 3,4 milhões de clientes da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) a partir de maio.

Os consumidores atendidos em baixa tensão, que representam 99% dos consumidores da companhia e incluem os clientes residenciais, terão um aumento médio de 11,44%. Já os consumidores industriais e comerciais de médio e grande porte, atendidos em alta tensão, terão reajuste de 10,91%, em média.

Um consumidor residencial convencional que consome 100 kWh/mês, por exemplo, terá sua conta reajustada de R$ 50,12 para R$ 55,70. Já o residencial baixa renda, com o mesmo consumo de 100 kWh/mês, terá o valor alterado de R$ 19,16 para R$ 21,34. Os clientes residenciais classificados como baixa renda contam com o benefício da Tarifa Social, que garante um desconto de até 65% sobre o valor da fatura. Esses consumidores correspondem a 35% do total de clientes residenciais da Celpe.

Os reajustes tarifários anuais estão previstos no contrato de concessão das distribuidoras. São mecanismos de correção monetária e também de atualização dos custos não gerenciáveis pela distribuidoras como os referentes a compra da energia junto aos geradores, custos de transmissão e encargos setoriais.

Além dos valores de tarifas fixados pela Aneel, são cobrados na conta de energia, ainda, os impostos (ICMS, PIS e Cofins) e as bandeiras tarifárias. Conforme definido pela administração municipal, também é cobrada na conta de energia a contribuição de iluminação pública (CIP), tributo repassado pela Celpe diretamente para as prefeituras municipais, que são as responsáveis pelos serviços de projeto, implantação, expansão, operação e manutenção das instalações de iluminação pública.

Os encargos setoriais e impostos têm uma grande participação nos custos da tarifa de energia elétrica, representando 37,2% do valor tarifário. Já as despesas com a compra e transmissão de energia respondem por 40,8%. Cabe à Celpe os 22% restantes para cobrir os custos de operação, manutenção, administração do serviço e investimentos. Isso significa que, para uma conta de R$ 100, por exemplo, R$ 22, em média, fica com a Celpe para operar e expandir todo o sistema elétrico no estado.link


MUSICAL DOS ANOS 60



                                                           http://tvtvil.blogspot.com.br

chuvas fortes em Araripina

Após chuvas fortes em Araripina, previsão de índices menores em outras áreas do Sertão


No município, chuva foi a esperada para 13 dias de março
Depois de chuvas consideradas muito fortes atingirem Araripina, no Sertão, na madrugada desta quarta-feira (25), a previsão da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) é de que continuem ocorrendo precipitações naquela região do Estado entre o período da noite e as primeiras horas desta quinta (26), mas com intensidade variando de fraca a moderada. O fenômeno também pode ocorrer de forma mais generalizada, e não predominantemente em um município, como os registros mais recentes.

Em Araripina, foram 88 milímetros em apenas duas horas. Os índices eram esperados para 13 dias deste mês. Com tanta água atingindo a localidade, o resultado não poderia ser outro: ruas inteiras foram tomadas pela enxurrada. Algumas tiveram rachaduras no asfalto. Também houve ocorrências de desabamentos de casas e de quedas de postes. Até o início da tarde, a prefeitura contabilizava cerca de 250 pessoas desabrigadas. Equipes da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros foram acionadas para atender os prejudicados pelo temporal.

Conforme o meteorologista Roberto Pereira, da Apac, as chuvas localizadas foram provocadas pela Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), que também ocasionou precipitações em áreas do Ceará e da Paraíba. "É um fenômeno que, geralmente, provoca efeitos generalizados, mas que, apesar de não estar sobre nós, teve desdobramentos, e somente naquela região do Estado", explica. "Agora, acreditamos que mais partes do Sertão devam receber chuvas, mas com menor intensidade", conclui.link do artigo


Anúncios antigos de produtos alimentícios: AIMORÉ

A história de importantes marcas de produtos alimentícios, como a famosa indústria mineira Aimoré, através de anúncios publicados ao longo dos tempos
 Farinha de trigo "Buda-Nacional", da Aimoré - Anúncio de 1940
  Farinha de trigo "Buda-Nacional", da Aimoré - Anúncio de 1937
 Alimentos diversos "Aimoré" - Anúncio de 1936
 Macarrão "Aimoré" - Anúncio de 1936
Biscoitos "Aimoré" - Anúncio de 1940
---
Fonte:

Revista "Belo Horizonte", edições de 1936, 1937 e 1940, disponível digitalmente no site do Arquivo Público da Cidade de Belo Horizonte

CORRUPÇÃO


É preciso separar Petrobras dos que desviaram recursos dela, diz Gabrielli

Gabrielli passou grande parte do depoimento na Câmara dos Deputados exaltando o crescimento da empresa nos últimos anos, sobretudo com a descoberta do pré-sal

O ex-presidente da Petrobras continua respondendo a perguntas dos parlamentares na CPI / Foto: Lucio Bernardo Jr. / Câmara dos Deputados

O ex-presidente da Petrobras continua respondendo a perguntas dos parlamentares na CPI

Foto: Lucio Bernardo Jr. / Câmara dos Deputados

O ex-presidente da Petrobras José Sergio Gabrielli adotou uma postura de defesa da Petrobras em depoimento na comissão parlamentar de inquérito (CPI) que apura denúncias sobre esquema de corrupção na empresa.Gabrielli passou grande parte do depoimento na Câmara dos Deputados exaltando o crescimento da empresa nos últimos anos, sobretudo com a descoberta do pré-sal. Para ele, é preciso separar a Petrobras daqueles que desviaram recursos dela. "Não podemos confundir o comportamento criminoso de alguns com o comportamento de uma empresa que está muito bem e funcionando."

Assim como o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa e o ex-gerente de Serviços da estatal Pedro Barusco, Gabrielli disse aos membros da CPI que a comissão de licitação da companhia não tinha conhecimento de esquemas de pagamento de propina em contratações.

"O que é público dos depoimentos de Barusco e de Paulo Roberto Costa, é que as comissões funcionavam corretamente. Não há possibilidade de que internamente se captasse essa situação", afirmou Gabrielli. Ele lembrou ainda que, de acordo com depoimentos dos réus confessos, as negociações eram feitas com as empresas que disputavam as obras, e não havia envolvimento com a comissão de licitação.

Gabrielli disse ainda que o setor de auditoria da empresa foi ampliado "três vezes mais" na última década, com o objetivo de neutralizar qualquer ilícito. Ele explicou que apenas algumas empresas no Brasil têm potencial para construir partes de uma refinaria e que, no rol dessas empresas, há algumas envolvidas no escândalo da Petrobras.

"Para construir uma refinaria inteira, não há nenhuma empresa com essa capacidade. Para construir algumas partes de uma refinaria, existem algumas no Brasil. E algumas dessas estão envolvidas nesse caso."

O ex-presidente da Petrobras continua respondendo a perguntas dos parlamentares na CPI.link

Acusados de assassinar apresentador de TV são absolvidos pela Justiça

Três réus apontados como responsáveis pela morte do apresentador e radialista Luciano Pedrosa, em 2011, foram inocentados em júri popular

:

Crime, em 2011, chocou moradores de Vitória de Santo Antão. Foto: Teresa Maia/DP/D.A.Press (Teresa Maia/DP/D.A.Press)
Crime, em 2011, chocou moradores de Vitória de Santo Antão. Foto: Teresa Maia/DP/D.A.Press
A Justiça absolveu, nesta segunda-feira (9), três réus apontados como responsáveis pelo assassinato do radialista e apresentador de TV Luciano Leitão Pedrosa, 46 anos. O caso aconteceu em Vitória de Santo Antão, em 2011, e teve forte repercussão no estado. O júri popular entendeu que o mototaxista Cláudio Pereira da Silva era inocente. Sobre o presidiário Josemir Soares da Silva, apontado pela polícia como mandante do crime, e o irmão dele, Josimar Soares da Silva, os jurados afirmaram acreditar na culpabilidade deles no caso, mas decidiram que os mesmos não deveriam ser condenados. 

O juiz Uraquitan José dos Santos, da 1ª Vara Criminal de Vitória de Santo Antão, presidiu o julgamento. Após o sorteio dos sete jurados, os réus foram ouvidos. Nenhuma restemunha foi requerida. Em seguida, começou a fase de debates entre Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e defesa dos réus. Por fim, o magistrado convocou os jurados para reunião, onde os votos foam contabilizados. Após isso, aconteceu a leitura do veredicto. O MPPE pode recorrer da decisão. 

Relembre o caso

Luciano Pedrosa teria sido executado porque denunciava crimes em seu programa de rádio. O mandante do crime não teria gostado dos comentários do radialista sobre o domínio de bocas de fumo da região. A vítima foi atingida com um tiro na testa quando estava dentro de um restaurante no centro de Vitória, em 9 de abril de 2011. De acordo com as investigações, Cláudio Pereira ajudou na fuga de Dailton Gomes Brasil (que ainda será julgado), responsável pelo tiro que matou o apresentador. A ordem teria partido de dentro do Presídio de Limoeiro. link aqui

Cidade de Piranhas

                                                               cidade de Piranhas
                                                            link biblioteca nacional

PM pode anunciar paralisação nesta quarta em -PE




foto-noticia

 














Nesta quarta-feira (21) policiares militares se reúnem com associações e lideranças e cogitam anunciar uma paralisação. O encontro já estava marcado há uma semana para discutir a questão salarial, mas pode tomar outro rumo depois da morte de um sargento da Polícia Militar durante uma rebelião no Complexo Prisional do Curado, nesta segunda-feira. 

A categoria afirma que a segurança dos presídios é competência dos agentes penitenciários e não da PM, que estaria acumulando a função. Além da segurança, os policiais também vão debater a questão salarial. Com a greve realizada pela categoria em maio, o governo se comprometeu em voltar a negociar os salários em janeiro deste ano. Segundo a categoria, as negociações não foram retomadas.

A reunião está marcada para às 13h, no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda.link do artigo

Vitória dos meu antepassados Jornal o lidador

Jornal de nossa cidade já extinto  recoste  do ano de  sabbado 28 de julho de 1883
o nome na época Victória  sabbado com  2 b


espetáculo no club litterario Victoriense 


chamado no anuncio para que os assignantes pague sua assinatura
primeiro trimestre no seu quarto annos

nota escrevi como se escrevia no passado


LEMBRANDO AS LIGAS CAMPONESAS


por Vandeck Santiago

1º de janeiro de 2015 as Ligas Camponesas completarão 60 anos

#EmFoco LEMBRANDO AS LIGAS CAMPONESAS por Vandeck Santiago  Em 1º de janeiro de 2015 as Ligas Camponesas completarão 60 anos. Elas nem existem mais, porém seu legado histórico ainda está aí, vivo e pulsando. Surgiram no Engenho Galileia, em Vitória de Santo Antão, em 1º de janeiro de 1955, e foram extintas logo após o golpe de março de 1964. Em 9 anos de existência conseguiram levar o camponês para a sala de estar da política nacional - a reivindicação de reforma agrária conseguiu assento na agenda de prioridades do Brasil e tornou-se o principal item das Reformas de Base idealizadas pelo governo João Goulart. Tamanha foi a repercussão das Ligas que elas chegaram às páginas da imprensa mundial (incluindo o New York Times) e despertaram a atenção do recém-iniciado governo John Kennedy, dos EUA.   A ação das Ligas Camponesas teve papel de destaque no rol de tensões sociais na América Latina que preocupavam os EUA, a ponto de o governo Kennedy ter criado um programa destinado a evitar que elas descambassem para revoluções esquerdistas (o Aliança para o Progresso). Alguns dos principais integrantes da administração Kennedy (como o historiador Arthur Schlesinger) estiveram no Nordeste para avaliar a situação social e política da região.   Nos anos 40 já tinha havido em Pernambuco uma organização com o nome


Em 1º de janeiro de 2015 as Ligas Camponesas completarão 60 anos. Elas nem existem mais, porém seu legado histórico ainda está aí, vivo e pulsando. Surgiram no Engenho Galileia, em Vitória de Santo Antão, em 1º de janeiro de 1955, e foram extintas logo após o golpe de março de 1964. Em 9 anos de existência conseguiram levar o camponês para a sala de estar da política nacional - a reivindicação de reforma agrária conseguiu assento na agenda de prioridades do Brasil e tornou-se o principal item das Reformas de Base idealizadas pelo governo João Goulart. Tamanha foi a repercussão das Ligas que elas chegaram às páginas da imprensa mundial (incluindo o New York Times) e despertaram a atenção do recém-iniciado governo John Kennedy, dos EUA.

A ação das Ligas Camponesas teve papel de destaque no rol de tensões sociais na América Latina que preocupavam os EUA, a ponto de o governo Kennedy ter criado um programa destinado a evitar que elas descambassem para revoluções esquerdistas (o Aliança para o Progresso). Alguns dos principais integrantes da administração Kennedy (como o historiador Arthur Schlesinger) estiveram no Nordeste para avaliar a situação social e política da região.

Nos anos 40 já tinha havido em Pernambuco uma organização com o nome "Ligas Camponesas", mas de atuação efêmera e sem nenhum destaque. A que fez a diferença mesmo foi a 1955, no Engenho Galileia, onde moravam pouco mais de mil pessoas (104 famílias). Curioso que esta entidade foi criada com outro nome, o de Sociedade Agrícola e Pecuária dos Plantadores de Pernambuco (SAPPP). O grupo que a criou teve a liderança de dois militantes ligados ao PCB, os irmãos José Ayres dos Prazeres e Amaro dos Prazeres (conhecido como "Amaro do Capim").

Num primeiro momento a SAPPP não teve resistência do proprietário, mas logo depois surgiram os problemas. Foi quando uma comissão decidiu ir ao Recife tentar a ajuda de um deputado estadual recém-eleito, ligado aos camponeses, o advogado pernambucano Francisco Julião (1915-1999). Deu-se aí o encontro da chispa com a palha seca.

Sob um ponto de vista estritamente burocrático, Julião não criou as Ligas (quando ele chegou, a entidade geradora do movimento já estava fundada). Mas foi ele quem deu notoriedade, dimensão e relevância política ao movimento. O próprio nome - Ligas Camponesas - é responsabilidade dele: na época, na tentativa de dizer que a entidade tinha ligações com comunistas, os seus opositores a chamavam de "Liga". Julião resolveu apropriar-se do nome - já que os adversários vão chamá-la assim, então vamos nós mesmos batizá-la como tal. A palavra de ordem mais lembrada da entidade - "Reforma agrária na lei ou na marra" - é também obra de Julião, um defensor assumido na época da agitação social.

Todas as medidas tomadas em favor dos camponeses no período de 1955 a 1964 (como o Estatuto do Trabalhador Rural, de 1963) e até depois do golpe (como o Estatuto da Terra, de novembro de 1964) foram motivadas pela agitação do campo provocada pelas Ligas.

As terras do Engenho Galileia foram desapropriadas em 1959 - o primeiro ato de reforma agrária no Brasil do pós-guerra. Dos que moram lá hoje, pelo menos um tem ligação com as lutas daquela época: Zito da Galileia, neto de um famoso líder do movimento, Zezé da Galileia, já falecido. Zito mantém viva a memória das Ligas e no próximo dia 11 vai inaugurar lá a biblioteca José Ayres dos Prazeres. Sessenta anos depois, a história do Galileia ainda rende inspiração.link do artigo