Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

O nosso blog abre um canal onde o internauta poderá participar sugerindo publicação. Enviando fotos

Traduza para seu idioma

Visitas internacionais

Free counters!

Seguidores

Jogo de interesses pessoais rodearam a eleição da Câmara de Vereadores da Vitória

 

Jogo de interesses pessoais rodearam a eleição da Câmara de Vereadores da Vitória


A política vitoriense deu o primeiro passo para as eleições de 2012. Foi na manhã desta quinta com a eleição da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores da Vitória de Santo Antão, o candidato a presidente, Pedro Queiroz (PPS), perdeu a disputa para o vereador que estava licenciado, José Aglaílson (PSB), que surpreendeu a todos ganhando por 6 X 4 a presidência da Casa Diogo de Braga.
Em uma manobra jurídica, o vereador licenciado José Aglaílson (PSB), que até então servia como Assessor Especial no Palácio do Campo das Princesas, voltou à sua vaga na Câmara da Vitória e foi para a disputa. Que contou com uma abstenção por parte de Novo da Banca, totalizando os 11 parlamentares presentes.

Para justificar o fato de se abster de votar, o vereador Novo da Banca (PSB?) alegou que não foi prestigiado pelo grupo do PSB local na composição de cargos perante os órgãos do Governo do Estado. Citou que avisou ao seu partido que apoiaria Edvaldo Bione (PHS) para deputado estadual, lembrando que contribuiu para este ter tido mais de 9 mil votos só em Vitória de Santo Antão. Citou na Sessão que o não apoio a Aglaílson Júnior para estadual se deveu ao fato do seu colega na Casa, Geraldo Enfermeiro, ter menosprezado sua base chamando ele de "vereador de baixo clero".

Novo acusa Geraldo de ter sido impedido em exercer a função de líder do Governo do então prefeito José Aglaílson, quando ele foi Presidente da Câmara na gestão passada. "Não tive espaço no ambiente político que atualmente goza o amigo Aglaílson. Dos três amigos que tenho empregados, todos são efetivos do Hospital João Murilo de Oliveira. Os quais são perseguidos noite e dia pelo que se diz diretor daquela unidade hospitalar (se referindo a Geraldo), não fui agraciado como deveria pelo povo do PSB", finalizou.

Em uma frase que chocou a plateia, o vereador foi  infeliz: "Esta Câmara é uma nojeira. Isso aqui não presta não!", concluiu Novo da Banca.

Cogitado para ser candidato a presidência da Casa, André de Bau (PMN) afirmou que só aceitou depois que levou ao conhecimento do vereador Mano Holanda (PMDB). Declarou seu voto em José Aglaílson para presidente em detrimento de Pedro, que foi chamado por este de "covarde" e acabou ganhando no final como consolo a 2ª Secretaria da Casa, avalizado pela bancada do PSB.
Aproveitou o momento para externar: "Estou saindo na próxima eleição da vida pública. Vou apoiar e ajudar o meu pai, Bau Nogueira, para retomar o mandato de vereador desta Casa. Sou grato ao meu pai que está presente e aqui presto minhas homenagens a ele", finalizou.

Prolixo, o vereador Geraldo Enfermeiro (PSB) não respondeu às críticas de Novo, seu desafeto. Contudo, aproveitou para deixar claro sua lealdade canina a família Queralvares, mesmo admitindo já ter passado pelos grupos políticos de Ivo Queiroz, Henrique, Elias Lira e agora Aglaílson. "Eu disse a Pedro Queiroz que só não votaria nele se o outro candidato fosse José Aglaílson. Não posso votar contra Zé do Povo", elogiando sem cerimônias.
"Sou um simples tratador de perebas há mais de trinta anos como servidor efetivo do Hospital João Murilo. Aquele Hospital não é nada demais. Não é o ouro que acham que é", assegurou.


Assumindo a postura mais coerente em todo o processo eleitoral da Casa, o vereador Everaldo Arruda (PSDB) aproveitou para lembrar que teve a chance por duas vezes de ter sido Presidente da Câmara, porém abriu mão em nome do grupo que defende. "Sempre defendi o grupo de Elias Lira por gratidão a Paulo Roberto. É preciso lembrar que Elias hoje é Prefeito por causa de Paulo Roberto que jogou um papel importante em sua campanha. Hoje somos injustiçados pelo próprio grupo do prefeito que nos acusou de traidores. Mas os traidores estão mostrando suas caras nesta Sessão", ressaltou Everaldo.
Ele se referiu a uma onda de boatos instalados na Prefeitura da Vitória que tentam isolar o grupo político de Paulo Roberto no governo Elias Lira. O vereador afirmou que existe no governo a "Secretária Oficial das Fofocas" e aproveitou para dá nomes aos bois: "Como essa tal de Carmem Lúcia", disse.

Everaldo Arruda disse que sempre mostrou-se disposto em colaborar com o governo, mas não teve apoio necessário. "A culpa pura e simples do que está acontecendo hoje na eleição da presidência, nada mais é do que o próprio Prefeito Elias Lira", lamentou.
Everaldo lembrou que o grupo de Paulo Roberto mostrou compromisso com a cidade e que dispõe de força política, quando nesta eleição deu 3.156 votos para Raquel Lyra como deputada estadual pelo PSB. "Uma pessoa de fora da cidade, que foi bem votada, e que vai procurar ajudar a cidade, como Paulo Roberto sempre tem feito naquilo que faz com todo o nosso grupo", lembrou. "Nesta eleição para presidente por lealdade ao grupo de Elias e de Paulo Roberto voto em Pedro Queiroz para presidente", declarou.
Recebendo a solidariedade do vereador Frazão (PR), que lembrou também da colaboração do grupo do deputado Henrique Queiroz ao governo local,  justificando o seu voto para Presidente a Pedro Queiroz, por ser grato ao deputado e vota em Pedro para atender o seu pedido.

Quase eleito como Vice-Presidente, Everaldo Arruda disputou a vaga com o Dr. Saulo. Deu empate técnico. Dr. Saulo acabou sendo vice presidente da Casa na Mesa com Aglaílson Presidente pelo critério jurídico de ser o mais velho. Isso não impediu de Geraldo Enfermeiro ter declarado o seu voto a Everaldo para ser o vice, somado aos votos de Frazão, Pedro Queiroz e o Irmão Duda. Porém, pelo critério do desempate ganhou o vereador mais velho.

A grande surpresa foi o vereador Mano Holanda. Para mim não foi nenhuma surpresa. Mano votou em todos os indicados para a Mesa ligados ao ex-prefeito Jose Aglaílson. "Com a minha desistência da disputa, optei por André de Bau. Porém mantive minha posição com André até o final, na própria casa de Elias Lira. Como ele se retirou da disputa, votei em Aglaílson para presidente", justificou o atual presidente da Casa, sob os olhares do deputado estadual Aglaílson Júnior (PSB), que assistiu toda a Sessão calado.

Votaram com José Aglaílson os seguintes vereadores: Mano Holanda (PMDB), André de Bau (PMN), Sylvio Gouveia, Geraldo Enfermeiro e Dr. Saulo, estes últimos do PSB.
Com Pedro ficaram os parlamentares: Frazão (PR), Everaldo Arruda (PSDB), Irmão Duda (PSDC).


Nova Composição da Mesa Diretora:

Presidente: José Aglaílson
Vice Presidente: Dr. Saulo
Secretário: Sylvio Gouveia
2º Secretário: André de Bau.



por Lissandro Nascimento.



LEIA MAIS:

 




Confira as imagens da Eleição na Câmara de Vereadores da Vitória

fotos de Lissandro Nascimento


Pedro (sentado na mesa) olha se Dr. Saulo tem a coroa do santo Dom Helder Câmara

  
Duda, Novo e Everaldo: "e agora José?"


Pedro e Sylvio: o ódio e o karma. Só Chico Xavier explica.


Pedro e André: "os últimos dos Moicanos"

 

Geraldo informa a Aglaílson que todo combinado deu certo

 

Vereador Irmão Duda pensando onde foi parar!

  
Dedé, ex-prefeito, confabula com Novo da Banca


Bau Nogueira, pai de André, só observa


Chegou a hora da verdade para a Mesa da Câmara

  

 Populares e políticos lotam o plenário da Casa Diogo de Braga

0 comentários: