Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

O nosso blog abre um canal onde o internauta poderá participar sugerindo publicação. Enviando fotos

Traduza para seu idioma

Visitas internacionais

Free counters!

Seguidores

''Sonhei com a morte de meu filho'', diz mãe de bandido morto em Garanhuns

         ''Sonhei com a morte de meu filho'', diz mãe de bandido morto em Garanhuns


       "Se não matassem ele, ele matava a moça", lamenta a mãe do assaltante
Foto: JC Interior

Depois de ouvir o pai do assaltante morto pela polícia na noite dessa segunda-feira (14), em Garanhuns, Agreste de Pernambuco, o JC Online conversou com a mãe de Leonardo Bezerra da Silva, 21, a dona de casa Maria Nazaré da Silva.

Ainda em estado de choque, ela fez questão de dizer que já sabia que o filho morreria naquela noite. “Eu sonhei que estava numa farmácia, sendo atendida por uma mulher, quando apareceu minha mãe, que já faleceu, dizendo: Aceite, que a hora dele chegou”, disse ela, acrescentando que acordou assustada e minutos depois, chegou a notícia na casa dela.



Mãe de dois filhos, Nazaré declara sua dor. “Tive dois filhos; um já se foi e o outro graças a Deus anda no caminho certo, não fez como o Leonardo que se envolvia com coisa errada e deu no que deu. Era meu filho, eu sinto muito por isso. Mas, se a polícia não tivesse matado ele, com certeza ele mataria aquela moça; ele estava drogado”, lamentou.

Questionada sobre o comportado do filho, ela foi incisiva. “Ele praticamente não parava em casa. Estava sempre na rua, por aí, fazendo sabe-se lá o quê. E quando vinha em casa, era sempre ignorante, mas nunca me bateu”, disse ela.

Dizendo estar envergonhada por tudo o que aconteceu, dona Maria Nazaré, apesar de tudo, sente-se aliviada. “Não queria esse fim para meu filho. Sei que ele nunca matou ninguém, mas do jeito que ele estava, essa seria a primeira vez. Tenho vergonha por tudo isso que aconteceu. Pelo que vi, a polícia não tinha outra escolha. E voltar para prisão, não resolveria a vida dele”.

Chorando, a dona de casa, finalizou. “Vai demorar para entender tudo. Cheguei até a evitar as imagens dos telejornais. Agora peço a Deus que ajude aquela moça – a vítima, Edivânia Claudino de Melo, 37 – para que ela fique bem e volte logo ao trabalho”.

Em contato com Edvânia, ela informou que está de licença por 15 dias, e que depois desse período voltará ao trabalho.

fonte

0 comentários: