Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

O nosso blog abre um canal onde o internauta poderá participar sugerindo publicação. Enviando fotos

Traduza para seu idioma

Visitas internacionais

Free counters!

Seguidores

Vitória de Santo Antão ganha fábrica de vidros

Italiana Glass Company também produzirá painéis solares. Investimento é de € 12 milhões e o início das operações está previsto para o mês de outubro de 2015

Polo Vitoria Foto Michele Souza -JC ImagemO polo industrial da Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata de Pernambuco, vai ganhar reforço com a implantação de uma fábrica de vidros e painéis solares da empresa italiana Glass Company. A unidade vai receber investimento de  € 12 milhões e tem previsão de começar a operar em outubro de 2015. A proposta é atender ao mercado brasileiro, sem descartar a possibilidade de expandir o atendimento para a América Latina.

"A Glass Company está presente no Brasil desde 1996, com uma fábrica no Rio Grande do Sul. Mas essa unidade está focada na fabricação de vidros para a construção civil, enquanto a de Vitória de Santo Antão poderá atender tanto ao setor quanto a usinas solares", declarou ao Portal A Voz da Vitória Ebert Casanova, diretor da Consultoria Confiance Gestão Contábil & Negócios, que intermediou a atração do investimento.

O executivo afirma que o interesse do grupo italiano era fazer o investimento em São Paulo, mas acabou se convencendo a ficar em Pernambuco. A empresa vai pleitear os incentivos do Programa de Desenvolvimento de Pernambuco (Prodepe). Os sócios adquiriram um terreno de quatro hectares na BR 232, em Vitória. A unidade tem capacidade para produzir 30 mil metros quadrados de vidro por turno de produção. No primeiro ano de operação, a previsão é que o faturamento mensal da indústria fique na casa dos R$ 3,5 milhões.

O vidro fotovoltaico chega a ser 20% mais caro que os comuns, mas são sustentáveis, permitindo a geração de energia solar. O produto é constituído por lâminas de células fotovoltaicas fabricadas com silício, que é um elemento químico semicondutor. Esse material é instalado em vidros comuns, que absorvem a radiação solar e transformam em energia.

"Ainda não temos contratos fechados, mas conversamos com construtoras, hotéis e móveis que se interessam pelo produto", adiantou Casanova. Segundo ele, regras do Programa Minha Casa, Minha Vidasugerem a substituição do vidro comum pelo fotovoltaico.

Em Pernambuco, a Glass Company se associou a Coliseum Leilões e a MF de Lima. Na distribuição societária, a Glass terá 30% de participação e os outros dois sócios, 35% cada um.

USINA SOLAR

A Fábrica da Glass Company integra um projeto maior, que prevê a implantação de dez usinas solaresnos municípios sertanejos de Salgueiro e Serra Talhada. A previsão é investir  € 430 milhões em usinas com 30 MW cada uma. O projeto terá participação de fundos de investimentos alemão e japonês, com participação de 50% e as empresas interessadas em se agregar poderão entrar com participação a partir de 10%.

A ideia inicial era implantar os parques em Afogados da Ingazeira, mas a localização foi revista. Os projetos da fábrica e da usina foram apresentadas em dezembro de 2013, em reunião com o Governo do Estado.link

 

 

2 comentários:

Ricardo disse...

Esta empresa está realmente se instalando ? att Ricardo Santos advassoc@hotmail.com

Ricardo Santos disse...

Esta esmpresa está realmente se instalando? Att Ricardo Santos advassoc@hotmail.com